A AES Eletropaulo

Impulsionando a vida de mais de 20 milhões de pessoas

Somos uma das 5 empresas da AES no Brasil e a maior distribuidora do País em termos de energia distribuída. Atendemos a 24 municípios da região metropolitana de São Paulo, incluindo a capital paulista, um dos principais centros econômico-financeiros do Brasil e do mundo. Com muito orgulho e determinação, somos pulso para a qualidade de vida, bem-estar e desenvolvimento em uma área de altíssima densidade demográfica, que concentra o maior PIB (Produto Interno Bruto) nacional. Hoje, atendemos a mais de 1,5 mil unidades consumidoras por km², o dobro da distribuidora com segunda maior densidade em área de concessão do Brasil. Conscientes dos desafios diários de operar em grande escala, investimos constantemente em tecnologia e inovação para atender cada vez melhor e mais rápido.

Nossos números (2016)

  • 7,3 mil colaboradores próprios
  • 4.526 km² de área de concessão
  • Mais de 1,5 mil unidades consumidoras por km², a maior densidade entre as distribuidoras do Brasil
  • 24 municípios atendidos
  • 20,1 milhões de pessoas atendidas
  • 7,015 milhões de unidades consumidoras
  • 44.236,8 GWh de energia distribuída para o mercado cativo e clientes livres
  • Participação no fornecimento de energia elétrica consumida:
    - 34% no Estado de São Paulo
    - 10% no Brasil
  • 152 subestações
  • 14.372 MVA de capacidade instalada
  • 1.847,6 km de linha de subtransmissão
  • 208.129 transformadores de distribuição
  • 38.497 km de rede de distribuição aérea
  • 2,2 mil km de rede de distribuição subterrânea
  • 1,2 milhão de postes
  • R$ 20,5 bilhões de receita operacional bruta
  • R$ 734,3 milhões de EBITDA

A trajetória da companhia acompanha o desenvolvimento de São Paulo. Em 1899, um grupo de empresários canandeses funda a The São Paulo Railway, Light Power Company Limited. e que no mesmo ano foi autorizada a atuar no Brasil.

Em 1904, o grupo canadense fundou a The Rio de Janeiro Tramway, Light and Power Co. Ltda. A partir de 1923, as empresas passaram a ser controladas pela holding Brazilian Traction Light and Power Co. Ltda. O grupo reestruturou-se em 1956, tendo por base a Brascan Limited.

Em 1979, o governo brasileiro, por meio da Eletrobrás, comprou da Brascan o controle acionário da então Light-Serviços de Eletricidade S.A.

Em 1981, a empresa passou às mãos do governo paulista e mudou seu nome para Eletropaulo - Eletricidade de São Paulo S.A.

Com o programa de privatização, lançado em 1995, a Eletropaulo foi reestruturada, dando origem a quatro empresas: as distribuidoras Eletropaulo Metropolitana - Eletricidade de São Paulo S.A e EBE - Empresa Bandeirante de Energia S.A; a companhia de transmissão EPTE - Empresa Paulista de Transmissão de Energia Elétrica S.A (atual CTEEP) e a geradora EMAE - Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A.

Com a cisão, coube à Eletropaulo Metropolitana a distribuição de energia elétrica aos 24 municípios da Grande São Paulo. Em 1998, a empresa foi adquirida em leilão de privatização pela Lightgás, com participação de capital entre AES e os grupos Electricité de France (EDF), Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) e Reliant Energy. Em 2001, em uma nova composição acionária, passou a ser controlada apenas pela AES Corporation, uma das maiores companhias de energia do mundo.

Em dezembro de 2003, a AES e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) concluíram a reestruturação das dívidas das empresas controladoras da Eletropaulo - AES Elpa e a AES Transgás - junto ao BNDES, que se tornou sócio da AES no capital da Eletropaulo, por meio da criação da holding Brasiliana de Energia S.A. A AES passou a deter 50% mais uma ação do capital votante da Brasiliana e o BNDES 50% menos uma ação. A Brasiliana, por sua vez, mantém a participação na Eletropaulo, anteriormente detida pela AES.

Foi realizada em 25 de setembro de 2006 uma oferta secundária de 15.829.189.000 ações preferenciais classe B (PNBs) da Eletropaulo detidas pela AES Transgás Empreendimentos S.A. ao preço R$ 85,00/’000 ações. Com os recursos captados, após o exercício integral do lote suplementar de ações (green shoe), foi realizado o pré-pagamento de R$ 1.289.175.618,64 referentes ao saldo atualizado das debêntures da Brasiliana Energia S.A. junto ao BNDES em 02 de outubro de 2006.

Em 8 de fevereiro de 2008, foi aprovada em pAssembléia Geral Extraordinária (AGE), após a anuência da Agencia Nacional de Energia Elétrica - Aneel, proposta de grupamento da totalidade das ações emitidas pela Companhia. A AES Eletropaulo, desta forma, adequou a negociação de ações de emissão da Companhia às orientações da BM&FBovespa com relação a esse assunto.

A partir de 1 de abril de 2008, as ações foram grupadas na proporção de 250 (duzentas e cinqüenta) ações existentes para 1 (uma) ação da mesma espécie. Após a conclusão do grupamento, as ações da Companhia passaram a ser negociadas somente pela cotação unitária. Simultaneamente à operação de grupamento, a Companhia realizou o desdobramento de ADRs de modo que para cada 1 ADR foi atribuído 1 ADR adicional. Desta forma, cada detentor de ADR passou a deter, após a alteração e o grupamento de ações, 2 (dois) ADRs representando, cada um, 1 (uma) ação de emissão da Companhia após o grupamento.

Em Assembléia Geral Extraordinária realizada em 20 de dezembro de 2010, foi aprovada a conversão das ações preferenciais classe A em ações preferenciais classe B. Com isso, a Companhia reforça o compromisso com as boas práticas de Governança Corporativa, conferindo a todas as ações preferenciais o direito de tag along de 100%, além de promover o aumento da liquidez das antigas ações preferenciais classe A.

A partir de 21 de dezembro de 2010, as ações preferências da Companhia passaram a ser negociadas na BM&F Bovespa sob código unificado (ticker) ELPL4. Desta forma, deixaram de existir os tickers ELPL5 e ELPL6 na mesma data. Considera-se, portanto, o histórico da ELPL6 como da ação preferencial ELPL4.

Em dezembro de 2015, uma reestruturação societária envolvendo sua controladora Companhia Brasiliana de Energia S.A. foi concluída e a partir de 1 de janeiro de 2016, a AES Eletropaulo passou a ser controlada pela Brasiliana Participação S.A. por meio de sua participação direta e indireta (por meio da AES Elpa S.A.).

Por que Investir?

A AES Eletropaulo é a maior distribuidora de energia elétrica do Brasil e da América Latina em termos de receita de fornecimento de energia conforme dados da (Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (ABRADEE). A Companhia acredita possuir um conjunto de vantagens competitivas que lhe permitem continuamente melhorar sua performance operacional e financeira. Essas vantagens consistem principalmente em:

  • Área de Concessão Concentrada e Desenvolvida - A Companhia fornece energia elétrica para 6,9 milhões unidades consumidoras abrangendo a área metropolitana de São Paulo, que é a maior área metropolitana do Estado mais desenvolvido e industrializado do Brasil. Em comparação com as áreas de concessão de outras distribuidoras do Brasil, a área de concessão da Companhia tem um alto índice de PIB/per capita e uma alta densidade demográfica, assim como um dos maiores índices de consumo de energia elétrica per capita.
  • Base de Clientes Diversificada, Crescente e Clientes Satisfeitos - A base de clientes da Companhia tem crescido gradativamente desde a privatização, em abril de 1998, e o número de clientes na área de concessão da Companhia tem crescido consideravelmente nos últimos anos.
  • Administração Experiente - Os conselheiros e diretores da Companhia possuem vasta experiência no segmento de distribuição e geração de energia elétrica, tanto no setor privado como no público.
  • Acionistas Importantes e Comprometidos - Os acionistas indiretos da Companhia são a The AES Corporation (“AES Corporation”) e o BNDES Participações S.A. – BNDESPAR (“BNDESPAR”). A AES Corporation é uma companhia global que atua na geração e distribuição de energia elétrica. Conforme ranking patrocinado pela revista Fortune, a AES Corporation está listada entre as 200 maiores empresas dos Estados Unidos.
  • Serviço de Alta Qualidade e Confiança - A Companhia acredita fornecer um serviço de alta qualidade e uma grande variedade de serviços de valor agregado para seus clientes, como programas de eficiência energética, gerenciamento de carga de energia e serviços de infraestrutura elétrica. A alta qualidade do serviço da Companhia é um importante diferencial, diminui seu custo de manutenção, melhora a satisfação de seus clientes e a ajuda a reter clientes potencialmente livres.

Vale ressaltar ainda o compromisso da Companhia com a governança corporativa e sustentabilidade. A AES Eletropaulo é listada no Nível II na BM&FBovespa, concedendo a todas as ações de sua emissão 100% de direito de tag along. Além disso, a Companhia faz parte da carteira ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial) desde a sua criação, em 2005.

Reajuste Tarifário Anual -  esse mecanismo é anual e define a tarifa para os próximos 12 meses considerando: (i) os custos não gerenciáveis (Parcela A) pela concessionária, como encargos setoriais, despesas com a compra de energia e custos de transmissão; (ii) atualiza monetariamente os custos gerenciáveis (Parcela B), que inclui operação e manutenção da rede das distribuidoras, pelo IGPM e o Fator X; e (iii) atribui à tarifa os ativos e passivos regulatórios incorridos ao longo do último ano regulatório.

Reajuste Tarifária Periódica -  para a AES Eletropaulo, é definida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) a cada quatro anos, conforme definido no contrato de concessão. Diferente do reajuste tarifário anual, além do reajuste da Parcela A para contemplar os custos não gerenciáveis para os próximos 12 meses, a revisão tarifária periódica revisa toda a metodologia de cálculo da Parcela B e seus componentes. O objetivo é preservar o equilíbrio econômico-financeiro da concessão e o realismo tarifário. A última revisão tarifária da AES Eletropaulo ocorreu em 2015.

Revisão Tarifária Extraordinária -  pode ocorrer a qualquer momento, independentemente dos reajustes e revisões, com o intuito de reestabelecer o equilíbrio econômico-financeiro da concessão caso algum evento extraordinário venha a por esse equilíbrio em risco. A revisão tarifária extraordinária pode ser concedida à um concessionário individualmente, ou se o desequilíbrio for setorial, à todas as concessionárias de forma coletiva. A última revisão tarifária extraordinária ocorreu em 2015.

Clique aqui para o histórico dos eventos tarifários da AES Eletropaulo.

 

Índice Sustentabilidade Empresarial 2017

Copyright 2015 AES Eletropaulo - Todos os direitos reservados

Desenvolvido: RIWEB